Arquivo da tag: Carlos Eduardo Alves

FESTA DOS 116 ANOS DO INSTITUTO HISTÓRICO E GEOGRÁFICO DO RIO GRANDE DO NORTE, A MAIS ANTIGA E TRADICIONAL CASA DA MEMÓRIA POTIGUAR

20180208_111628 - Copia

Rostand Medeiros, Sócio Efetivo e membro da Diretoria do IHGRN.

No próximo dia 12 de abril de 2018 o Instituto Histórico e Geográfico do Rio Grande do Norte – IHGRN, a mais antiga instituição cultural do estado, vai comemorar seus 116 anos de fundação. Na ocasião ocorrerá o lançamento da Revista do Instituto Histórico de número 96 e do Catálogo do IHGRN. Também serão entregues vários títulos da instituição a beneméritos, amigos, mantenedor da casa e igualmente será realizada a posse de novos sócios efetivos.

O evento será realizado no Centro Pastoral Dom Heitor de Araújo Sales, na Rua da Conceição 615, ao lado da sede do IHGRN.

Serão empossados no próximo dia 12 de abril novos SÓCIOS EFETIVOS do Instituto Histórico e Geográfico do Rio Grande do Norte, trazendo para esta casa uma renovação de ideias e pensamentos entre seus membros.

g

Entre estes está a escritora Diva Maria Cunha Pereira de Macedo, ocupante da cadeira número 30 da Academia Norte-rio-grandense de Letras, cujo patrono é o Monsenhor Augusto Franklin Moreira Silva. 

Outro que estará fazendo parte oficialmente do quadro de Sócios efetivos é José Gaudêncio Diógenes Torquato, arquiteto, que atualmente é o prefeito constitucionalmente eleito do município de São Miguel, onde realiza importantes ações que ampliam junto a sua comunidade a importância do conhecimento histórico e da identidade local.

Já o canguaretamense Francisco Alves Galvão Neto, mentor na criação da Academia de Letras de Canguaretama e que fez parte da Comissão de Estudo para Beatificação dos Mártires de Cunhaú e Uruassú, é um destacado pesquisador que agora passa a fazer parte dos quadros do IHGRN.

ihgrn (2)

Outro que estará ingressando na casa é o atual Presidente da Academia Açuense de Letras Francisco Jose Costa dos Santos, professor da rede estadual de ensino e um grande batalhador pela memória e cultura de sua região.

Entre os agraciados com o título de SÓCIO BENEMÉRITO estão o Prefeito de Natal Carlos Eduardo Alves, os Deputados Estaduais Hermano Morais, José Dias e Dison Lisboa, as Vereadoras de Natal Eleika Bezerra, Julia Arruda e Nina Souza. Estas autoridades, tanto a frente do executivo natalense, ou nos trabalhos parlamentares da Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte, bem como na Câmara Municipal de Natal, conseguiram encaminhar projetos e emendas parlamentares que foram essenciais para as reformas e manutenção do Instituto Histórico e Geográfico do Rio Grande do Norte.

Outro que estará recebendo o título de Sócio Benemérito será o Juiz Federal Francisco Eduardo Guimarães Farias, que no seu exercício profissional presta um relevante serviço benemerente ao Instituto Histórico e Geográfico do Rio Grande do Norte.

ihgrn (1)

 Outro agraciado será o empresário Arturo Silveira Dias de Arruda Câmara, que no seu exercício profissional presta um relevante serviço em prol do conhecimento pelo público potiguar sobre o Instituto Histórico e Geográfico do Rio Grande do Norte.

Igualmente neste dia 12 de abril de 2018 irá ocorrer um fato inédito nos 116 anos do nosso Instituto Histórico e Geográfico do Rio Grande do Norte.

Pela primeira vez será entregue o título de SÓCIO MANTENEDOR e o agraciado com essa distinção é o médico radiologista Einar Cavalcanti de Souza, que espontaneamente procurou o Instituto Histórico e Geográfico do Rio Grande do Norte para saber como poderia ajudar a nossa instituição. Diante de tão nobre gesto, a Diretoria decidiu criar o título de Sócio Mantenedor, sendo o Doutor Einar o primeiro a receber esta honraria.

ihgrn
Prédio do Instituto Histórico e Geográfico do Rio Grande do Norte (Foto: Divulgação/Prefeitura de Natal)

Nesta noite de comemoração, de reencontro e festa, a Diretoria do IHGRN terá a honra de entregar vários diplomas de AMIGOS DO INSTITUTO a pessoas que doam o melhor de si para o bom funcionamento desta importante casa da cultura potiguar, a maioria deles de forma estritamente voluntária.

Recebendo este diploma temos Maria Lúcia da Silva, a querida Lúcia, funcionária da Fundação José Augusto que trabalhou cedida durante trinta anos junto ao Instituto Histórico e Geográfico do Rio Grande do Norte, prestando uma inestimável ajuda a casa e aos pesquisadores.

ihgrn (3)

Já o engenheiro civil Yuri Tasso Duarte Queiroz Pinto, está recebendo o diploma de Amigo do Instituto, pois, quando Presidente da Companhia de Águas e Esgotos do Rio Grande do Norte – CAERN, viabilizou a doação de inúmeros equipamentos essenciais para o funcionamento do IHGRN.

O funcionário do Departamento Estadual de Imprensa Valmir Bezerra de Araújo, pela presteza nas publicações no Diário Oficial dos informes essenciais do Instituto Histórico e Geográfico do Rio Grande do Norte, sendo, portanto, agraciado com este diploma.

Uma querida Amiga do Instituto é a acadêmica de Direito Maria Lopes Ricardo Simões, que desenvolveu junto com Gustavo Sobral, atual Diretor de Biblioteca, Arquivo e Museu desta instituição, o primeiro catálogo do nosso acervo, bem como é autora da atual foto oficial do IHGRN.

20180208_112512 - Copia

Outro que está recebendo o diploma de Amigo do Instituto por seu trabalho voluntário é Pedro Simões Neto Segundo, técnico de geologia e de mineração, que atualmente desenvolve a biblioteca virtual desta instituição,

Os outros agraciados com esse diploma são Igor Oliveira da Silva e Cristiane França Bezerra de Melo. Igor é bacharel em história pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte e bacharelando em biblioteconomia, onde organizou a nossa biblioteca. Já Cristiane França, formada em biblioteconomia, trabalha no nosso IHGRN junto ao seu acervo.

Ao longo dos últimos anos o IHGRN, cujo Presidente Ormuz Simonetti, em conjunto com seus Diretores e associados, vem buscando incrementar a realização de novos projetos e ampliar as ações da instituição com propostas mais arrojadas, contribuindo assim para o desenvolvimento da cultura potiguar. Igualmente o IHGRN foca na interiorização de suas atividades, criando seções regionais em várias cidades do Rio Grande do Norte, abrindo assim novos horizontes para seu desenvolvimento.

20180208_112549 - Copia

O Instituto Histórico e Geográfico do Rio Grande do Norte é uma entidade civil, sem fins lucrativos, de caráter cientifico e educacional, sendo a mais antiga entidade privada cultural do Estado. É uma instituição que possui parcerias com órgãos e instituições públicas e privadas, além de editar regularmente a sua tradicional Revista do Instituto Histórico e Geográfico do Rio Grande do Norte.

Por tudo isso o IHGRN é um importante repositório da tradição cultural e histórica de todo o povo potiguar, sendo uma instituição tradicional voltada ao serviço público de resgate e registro da memória do Rio Grande do Norte.

 

Anúncios

POLÍTICOS DO RN: A MESMICE. A FARSA. O ESTELIONATO – VINTE ANOS PERDIDOS

Mobilização política no interior potiguar - Fonte - erinilsoncunha.blogspot.com
Mobilização política no interior potiguar – Fonte – erinilsoncunha.blogspot.com

Autor – Antoniel Campos

Fonte – https://www.facebook.com/antoniel.campos

1. A MESMICE. Em 1994, Garibaldi Alves foi eleito Governador, tendo por vice Fernando Freire. Derrotou Lavoisier Maia e Vilma de Faria. Geraldo Melo e José Agripino foram eleitos Senadores. Em 1996, Vilma de Faria foi eleita Prefeita de Natal, com o apoio de José Agripino. Derrotou Fátima Bezerra. Em 1998, Garibaldi Alves foi reeleito Governador, tendo por vice Fernando Freire. Derrotou José Agripino, que foi apoiado por Vilma de Faria. Fernando Bezerra foi eleito Senador. Em 2000, Vilma de Faria foi reeleita Prefeita de Natal, tendo por vice Carlos Eduardo Alves, com o apoio de Garibaldi Alves. Derrotou Fátima Bezerra. Em 2002, Vilma de Faria foi eleita Governadora, com o apoio de Carlos Eduardo Alves, Agnelo Alves, Lavoisier Maia e, no 2º Turno, Fernando Bezerra. Derrotou Fernando Bezerra (1º Turno), que foi apoiado por José Agripino e, no 2º Turno, derrotou Fernando Freire, que foi apoiado por Garibaldi Alves e Henrique Alves. Garibaldi Alves e José Agripino foram eleitos Senadores. Em 2004, Carlos Eduardo Alves foi eleito Prefeito de Natal, tendo por vice Micarla de Sousa, com o apoio de Vilma de Faria e, no 2º Turno, de Fernando Mineiro e Fátima Bezerra, a quem havia derrotado no 1º Turno e, no 2º Turno, derrotou Luiz Almir, que foi apoiado por Geraldo Melo, Garibaldi Alves, Henrique Alves e, no 2º Turno, por José Agripino. Em 2006, Vilma de Faria foi reeleita Governadora, tendo por vice Iberê Ferreira, com o apoio de Fátima Bezerra e Fernando Mineiro. Derrotou Garibaldi Alves, que foi apoiado por José Agripino. Rosalba Ciarlini foi eleita Senadora. Em 2008, Micarla de Sousa foi eleita prefeita de Natal, tendo por vice Paulinho Freire, com o apoio de José Agripino, João Maia, Robinson Faria e Rosalba Ciarlini. Derrotou Fátima Bezerra, que foi apoiada por Garibaldi Alves, Henrique Alves, Carlos Eduardo Alves e Vilma de Faria. Em 2010, Rosalba Ciarlini foi eleita Governadora, tendo por vice Robinson Faria, com o apoio de José Agripino, Garibaldi Alves, Henrique Alves e João Maia. Derrotou Carlos Eduardo Alves e Iberê Ferreira, que foi apoiado por Vilma de Faria, Fátima Bezerra e Fernando Mineiro. Garibaldi Alves e José Agripino foram reeleitos Senadores. Em 2012, Carlos Eduardo Alves foi eleito Prefeito de Natal, tendo por vice Vilma de Faria, com o apoio de Fátima Bezerra e Fernando Mineiro. Derrotou Hermano Morais, que foi apoiado por Henrique Alves, Garibaldi Alves e João Maia.

20130813105331_cv_eleicoes-gerais_gde

2. A FARSA – Os vinte personagens citados acima vem, nos últimos vinte anos, associando-se — ora correligionários em um momento, ora adversários em outro —, nas seguintes coligações: Coligação Vitória do Povo, Coligação Vontade do Povo, Coligação Vontade Popular, Coligação Unidade Popular, Coligação Força da União e Por um RN melhor, Coligação Coragem para mudar, Coligação Mudança e Renovação, Coligação União Por Natal, Coligação Natal Merece Respeito, Coligação Natal Olha pra Frente, Coligação Transformar Natal, Coligação Natal Melhor. Em que pese a pujança dos nomes das coligações, aqueles vinte políticos e suas associações partidárias de nomes bem intencionados, conseguiram os seguintes resultados para o Rio Grande do Norte e Natal, conforme dados do PNUD, de 1991 a 2010, traduzidos nos seguintes indicadores sócio-econômicos:

images

2.1 No Estado: a) Indicador: IDH – índice de Desenvolvimento Humano: Média de crescimento do indicador nos Estados do Nordeste: +67,8% Média de crescimento do indicador no Rio Grande do Norte: +59,8% b) Indicador: IDH-E – índice de Desenvolvimento Humano – dimensão Educação: Média de crescimento do indicador nos Estados do Nordeste: +185,2% Média de crescimento do indicador no Rio Grande do Norte: +146,7% c) Indicador: Taxa de Analfabetismo da população de 18 anos ou mais de idade: Média de redução do indicador nos Estados da Federação: -51,1% Média de redução do indicador no Rio Grande do Norte: -47,8% d) Indicador: Expectativa de anos de estudo aos 18 anos de idade: Média de crescimento do indicador nos Estados do Nordeste: +41,4% Média de crescimento do indicador no Rio Grande do Norte: +27,0% e) Indicador: Esperança de vida ao nascer: Média do indicador no Brasil: 73,9 anos Média do indicador no Rio Grande do Norte: 72,5 anos f) Indicador: Mortalidade infantil até um ano de idade: Média do indicador nos Estados da Federação: 16,7 mortes por mil crianças nascidas vivas Média do indicador no Rio Grande do Norte: 19,7 mortes por mil crianças nascidas vivas g) Indicador: Probabilidade de um recém-nascido viver até 60 anos: Média de crescimento do indicador nos Estados do Nordeste: +33,1% Média de crescimento do indicador no Rio Grande do Norte: +31,8% h) Indicador: Proporção de indivíduos vulneráveis â pobreza: Média de redução do indicador nos Estados da Federação: -40,8% Média de redução do indicador no RN: -39,6% i) Indicador: Renda per capita média: Média do indicador nos Estados da Federação: R$ 697,00 Média do indicador no RN: R$ 545,40 j) Indicador: Percentual da população em domicílios com coleta de lixo: Média de crescimento do indicador nos Estados do Nordeste: +51,9% Média de crescimento do indicador no Rio Grande do Norte: +26,3% l) Indicador: Percentual da população em domicílios com energia elétrica: Média de crescimento do indicador nos Estados do Nordeste: +38,1% Média de crescimento do indicador no Rio Grande do Norte: +20,3%

581167_376655459065273_153050513_n

2.2 Em Natal: a) Indicador: IDH – índice de Desenvolvimento Humano: Média de crescimento do indicador nas capitais do Nordeste: +38,3% Média de crescimento do indicador em Natal: +33,4% b) Indicador: IDH-E – índice de Desenvolvimento Humano – dimensão Educação: Média de crescimento do indicador nas capitais do Nordeste: +83,8% Média de crescimento do indicador em Natal: +70,5% c) Indicador: Taxa de Analfabetismo da população de 18 anos ou mais de idade: Média de redução do indicador nas capitais da Federação: -57,1% Média de redução do indicador em Natal: -50,9% d) Indicador: Expectativa de anos de estudo aos 18 anos de idade: Média de crescimento do indicador nas capitais do Nordeste: +20,0% Média de crescimento do indicador em Natal: +11,0% e) Indicador: Esperança de vida ao nascer: Média de crescimento do indicador nas capitais do Nordeste: +14,4% Média de crescimento do indicador em Natal: 12,7% f) Indicador: Índice GINI – Desigualdade social existente na população segundo a renda per capita: Média da REDUÇÃO da desigualdade social nas capitais do Nordeste: -0,71% Média do AUMENTO da desigualdade social em Natal: +1,67% g) Indicador: Probabilidade de um recém-nascido viver até 60 anos: Média de crescimento do indicador nas capitais do Nordeste: +24,5% Média de crescimento do indicador em Natal: +20,6% h) Indicador: Proporção de indivíduos vulneráveis â pobreza: Média de redução do indicador nas capitais da Federação: -47,0% Média de redução do indicador em Natal: -46,4% i) Indicador: Renda per capita média: Média do indicador nas capitais da Federação: R$ 1.149,80 Média do indicador em Natal: R$ 950,30 j) Indicador: Percentual da população em domicílios com coleta de lixo: Média de crescimento do indicador nas capitais do Nordeste: +23,1% Média de crescimento do indicador em Natal: +11,1% l) Indicador: Percentual da população em domicílios com energia elétrica: Média de crescimento do indicador nas capitais do Nordeste: +2,0% Média de crescimento do indicador em Natal: +1,6% m) Indicador: Percentual da população em domicílios com banheiro e água encanada: Média de crescimento do indicador nas capitais do Nordeste: +23,7% Média de crescimento do indicador em Natal: +17,0% 3.

seguranca-charge.thumbnail

O ESTELIONATO – Parcela dos vinte políticos citados no item 1 estará agora, nas eleições de 2014, unidos em suas coligações, juntos e misturados, não necessariamente com as mesmas denominações, mas certamente com os mesmos apelos: “vitória do povo”, “vontade do povo”, “vontade popular”, “unidade popular”, “força da união por um RN melhor”, “coragem para mudar”, “mudança e renovação”, “união por Natal”, “Natal merece respeito”, “Natal olha pra frente”, “transformar Natal”, “Natal melhor”, etc, etc. Farão as mesmas promessas, culparão os antecessores — que são eles próprios, conforme restou provado no item 1 — e se colocarão como salvadores. Não terão, todavia, como negar os números do PNUD, que dizem que, de 1991 a 2010, no RN e em Natal, o índice de desenvolvimento humano, a probabilidade de sobreviver até 60 anos, a expectativa de anos de estudos aos 18 anos, o percentual da população com coleta de lixo e com energia elétrica, cresceram menos do que nos Estados e nas Capitais do Nordeste; que a renda per capita é menor do que a média nos Estados e Capitais do Brasil; que a vulnerabilidade à pobreza e a taxa de analfabetismo de pessoas com 18 anos ou mais de idade, diminuíram menos do que nos Estados e nas Capitais da Federação; que, no Rio Grande do Norte, a expectativa de vida é menor do que a média nacional e que a mortalidade infantil é maior do que a média no Brasil; que, em Natal, o percentual de domicílios com banheiro e água encanada e a expectativa de vida cresceram menos do que nas Capitais do Nordeste e que, curiosamente, a desigualdade social aumentou em Natal, enquanto diminuiu nas demais capitais nordestinas. Eis a herança desses vinte políticos para Natal e para o Rio Grande do Norte. Negarão os números? Negarão que foram eles os responsáveis pelos mesmos?