NIKOLA TESLA – GÊNIO DA MODERNIDADE!

Nikola Tesla
Nikola Tesla

Costuma-se dizer que o extraordinário inventor nasceu na época errada, ou que o século XX não estava preparado para ele. E essas afirmações parecem estar corretas, uma vez que sua figura, fundamental na história do progresso da civilização, foi menosprezada, ou, até mesmo, ocultada durante o século passado, tendo agora uma projeção mundial de grandes proporções.

Em dezembro de 2014, na Fundação Telefônica de Madri, Espanha, foi inaugurada a maior mostra do mundo dedicada a Tesla, que recebeu milhares de visitantes diários e contou com participantes de todas as áreas, como cientistas, engenheiros, cineastas, videoartistas, museólogos, coreógrafos, músicos, atores, escritores, criadores de videogames, grafiteiros, mágicos e ecologistas, que renderam suas homenagens à figura do inventor. É inegável que Tesla deixou sua marca nos campos da engenharia mecânica e elétrica, sendo considerado um dos inventores da modernidade.

Casa onde nasceu Tesla.
Casa onde nasceu Tesla.

Mas durante sua vida, ele não fez bons negócios e preferiu investir seu tempo no trabalho e nas suas invenções do que na política necessária para impor suas patentes. Além disso, muitas de suas obsessões eram tão avançadas para a época, como a robótica, a transmissão sem fios de eletricidade e as energias alternativas, livres e de baixo consumo, que sua importância seria inevitável neste milênio, quando tais temas se transformaram em obsessões no mundo inteiro.

E assim, mais de sete décadas após sua morte, o mundo precisa de Tesla e o demonstra em forma de uma verdadeira teslamania.

Nascido em 10 de julho de 1856, em Smiljan, no então império Austríaco (hoje Croácia), em 1884, Tesla se mudou para os Estados Unidos e tornou-se um assistente do famoso cientista da época Thomas Alva Edison. Após um sério desentendimento com este por não haver recebido um gigantesco bônus prometido por Edison (segundo ele, uma brincadeira) por algumas de suas aplicações, aprimoramentos e descobertas (1886), Tesla perde o emprego e passa por um período difícil, realizando trabalho braçal. Em 1887, consegue realizar um contrato com um grande investidor e vende sua patente da corrente alternada para George Westinghouse, que convence o governo americano a adotar o modelo-padrão de corrente alternada, o meio mais eficiente para a distribuição de energia elétrica, contrariando interesses de seu antigo empregador Thomas Edison.

nikola-tesla-invencoes-noticias-seu-history

Tesla é reconhecido por suas contribuições revolucionárias no campo do eletromagnetismo. Suas patentes e seu trabalho teórico formam as bases dos modernos sistemas de potência elétrica em corrente alternada (AC), assim como os sistemas polifásicos de distribuição de energia e o motor AC. Tesla contribuiu em diferentes níveis nas áreas da robótica, controle remoto, radar e ciência computacional, expansão da balística, física nuclear e física teórica.

Querem mais?

Tesla Inventou a corrente polifásica, comutadores elétricos e ligação em estrela, novos tipos de geradores e transformadores, comunicação sem fio, a lâmpada fluorescente que você usa na sua casa, controle remoto por rádio e protótipos de transmissão de energia.

Contudo, ele possuía uma personalidade muito excêntrica – com manias e fobias – e também defendia teorias controversas. Suas ideias sobre possíveis desenvolvimentos científicos eram consideradas bizarras e inacreditáveis. Enquanto testava um transmissor que inventou para rastrear tempestades, Nikola Tesla afirmou que recebeu uma transmissão de uma misteriosa fonte, desconhecida e vinda do espaço. Tinha a teoria que uma fonte inesgotável de energia elétrica poderia desafiar a gravidade. ]

Aqui nós temos o jovem Nikola Tesla com uma beldade, nas areias de Staten Island Midland Beach, New York, 1898.
Aqui nós temos o jovem Nikola Tesla com uma beldade, nas areias de Staten Island Midland Beach, New York, 1898.

Entre as suas fobias estavam algumas consideradas pouco habituais. Fazia as coisas de acordo com o número três, e era inflexível em relação em ficar em quartos de hotel cujo número era divisível por três. Tesla era também notado por ficar fisicamente revoltado por joalharia, sobretudo brincos de pérola. Era fastidioso acerca da limpeza e higiene, e era, segundo a opinião corrente, misofóbico.

Tesla era sujeito a se alienar e era geralmente murmurado. No entanto, quando realmente participava na vida social, muitas pessoas o referiam de um modo muito positivo e admirador. Robert Underwood Johnson descreveu-o como atingindo uma “distinta doçura, sinceridade, modéstia, refinamento, generosidade, e força.” A sua leal secretária, Dorothy Skerrit, escreveu: “o seu sorriso genial e postura nobre sempre evidenciaram o carácter cavalheiresco que estava tão arraigado na sua alma.” Hawthorne, amigo de Tesla, escreveu que “poucas vezes se conhece um cientista ou engenheiro que também seja um poeta, um filósofo, um apreciador de música erudita, um linguista, e um connoisseur de comida e bebida.”

No entanto, Tesla por vezes mostrava traços de crueldade; expressava abertamente a sua repulsa por pessoas obesas, tendo despedido certa vez uma secretária devido ao seu peso.

Tesla recebendo uma comenda - Fonte - http://merlinthegrey.deviantart.com/art/Nikola-Tesla-27-245661573
Tesla recebendo uma comenda – Fonte – http://merlinthegrey.deviantart.com/art/Nikola-Tesla-27-245661573

Era também rápido a criticar as roupas dos outros, e em muitas ocasiões ordenou uma subordinada que fosse a casa e mudasse de vestido.

Acabou no ostracismo e era visto como um cientista louco. Também nunca se casou ou se preocupou muito com o seu dinheiro. Morreu pobre aos 86 anos, em 7 de janeiro de 1943, em Nova York.

Mesmo com toda esta situação, conforme os anos após sua morte passavam, a percepção do mundo sobre Tesla foi mudando e para melhor.

Em sua homenagem, no ano de 1960, em Paris, durante a na Conférence Générale des Poids et Mesures, foi criado o “tesla”, uma unidade do Sistema Internacional que mede a densidade do fluxo magnético ou a indução magnética (geralmente conhecida como campo magnético “B”). A cratera Tesla no lado mais distante da Lua e o asteroide “2244 Tesla” foram também nomeados em sua honra. O conceituado Institute of Electrical and Electronics Engineers (IEEE), do qual Tesla foi vice-presidente, também criou um prémio em homenagem a Tesla. Designado por IEEE Nikola Tesla Award é atribuído a um indivíduo ou equipe que tenha contribuído de um modo extraordinário para a geração ou utilização de energia eléctrica, e é considerado como o prémio de maior prestígio na área da energia eléctrica

Bernard Carlson e Marc Seifer, os historiadores e biógrafos de Nikola Tesla, foram consultados a respeito das curiosidades menos conhecidas do grande público sobre a vida e a obra (que, no caso dele, integravam uma só coisa) do brilhante cientista balcânico, considerado por muitos como o grande inventor do século XX.

  1. Ele nasceu durante uma tempestade elétrica

O nascimento de Tesla teve a aura majestosa (e o magnetismo) que seu personagem requer: sua mãe deu à luz por volta da meia-noite, entre os dias 9 e 10 de julho de 1856, durante uma grande tempestade. De acordo com a lenda familiar, no meio do parto, ao escutar um relâmpago, a parteira cobriu o rosto e fez um mau presságio. “Este menino vai ser um filho das trevas”, ela disse. Ao que sua mãe respondeu: “Não. Ele será um filho da luz”. Além do sérvio, Tesla falava ainda sete outras línguas.

  1. Ele não era inimigo de Edison

Ao contrário de alguns relatos, Tesla e Edison não eram inimigos. Embora ambos representassem lados opostos da chamada guerra da eletricidade (corrente contínua vs. corrente alternada), pessoalmente, eles não se desgostavam. Por exemplo, em uma ocasião, Edison assistiu a uma conferência da qual Tesla participava e, para não chamar atenção, ficou na parte de trás do auditório. Ao vê-lo, Tesla pediu que o público ficasse de pé para ovacioná-lo.

  1. Ele provocou um terremoto… no aparelho digestivo de Mark Twain

Diz-se que Tesla tinha uma “máquina de terremotos” que quase derrubou o edifício onde se localizava. Mas o que ele possuía era um oscilador de alta frequência com um pistão fixado embaixo de uma plataforma que era sacudida violentamente quando ativada. Utilizando esta tecnologia e advertido dos problemas digestivos de seu amigo, o genial escritor Mark Twain, Tesla o convidou certa vez ao seu laboratório: disse a Twain que ficasse de pé na plataforma e ligou o oscilador. Ao cabo de 90 segundos, o romancista saiu correndo em direção ao banheiro.

  1. Ele era namorador, mas odiava pérolas.

Tesla não suportava as pérolas e não podia nem vê-las. Inclusive, se negava a falar com algumas mulheres por este motivo. Um dia, sua secretária chegou com um colar de pérolas e Tesla a mandou de volta a casa. Tudo isso era parte de sua relação peculiar com o estilo e a estética. Ele também carregava luvas para os jantares e, quando fotografado, levava um bom tempo para se ajustar em seu “melhor perfil”.

  1. Ele tinha memória fotográfica

A memória fotográfica de Tesla era tão boa que ele podia memorizar os livros e as imagens para suas invenções sem precisar registrá-las materialmente. Sua imaginação poderosa e sua capacidade para visualizar as coisas lhe serviram para controlar os pesadelos ainda vívidos que sofria quando criança.

  1. Ele tinha pânico de germes

Como a maioria das personalidades excêntricas, Tesla tinha hábitos de higiene excessiva, provavelmente causados durante uma dura convalescênça por cólera na adolescência.

Fonte e imagens: Fundación Telefónica e PBS 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s